terça-feira, 27 de julho de 2010

antúrios de minha mãe





eu era menina
e os antúrios vermelhos
cresciam em vasos de barro.
ficavam perto da porta do alpendre da casa
que ficava na rua que dava de frente
praquele lugar que chamavam de banhado.
e ainda chamam assim,
banhado...
aquele lugar imenso
tão verde,
tão cheio de mato,
tão cheio daquelas adormecidas...
e adormecidas eram umas folhinhas verdes
que ao toque,
fechavam-se em si
adormecidas...
e haviam tantas
perto dos trilhos,
naquelas manhãs
que fizeram um tempo
que ficou em mim...





sobre a tela:

Detalhe da tela "antúrios de minha mãe"
técnica: óleo sobre tela
0,70m x 0,90m
2005          







18 comentários:

Paulo Zerbato disse...

Nossa Angela!! Que maravilha seu trabalho...emocionaram-me, transporte-me para "aquelas manhãs"! Vi os antúrios no alpendre!

Paulo.

Angela disse...

Eu acho que também os vi, Paulo...
enquanto escrevia, eu os vi...
e caminhei por aquele alpendre outra vez, vi os ladrilhos do chão...
obrigada por tua presença e pelo carinho das palavras!

.

.

.

um grande abraço!

Alex disse...

Sua arte é carregada de saudades e belezas. Parabéns mais uma vez pela admirável expressão poética.

Abraços!

Angela disse...

um dia veio e eu comecei a sentir falta de tanta coisa...

mas será que foi mesmo falta, ou foi presença que ainda ficou?
ah...eu não sei.
é que me pego demais enroscada em emoção, e muitas vezes não sei falar.

e passa as vezes, tanto tempo, tantos anos, até que eu consiga expressar o que senti, ou vivi...

são caixinhas de sentimentos guardados Alex...

a vida vai passando e eu vou abrindo, uma por uma...

um beijo!

Verinskia disse...

Ângela,

Não vou dizer da pintura, mas do que nela depositaste e o que chegou até a mim.
Antúrios como copos-de-leite (estes tenho pintados)transmitem a sensação de nascimento. Nascimento? é...o nascer do momento que se pinta, não da flor, mas do momento.
E esses antúrios eram de tua mãe. Que lindo....
o florescer ser um nascer embutido nas flores
que transformas em cores

.
.
.
grata pela homenagem
.
.
.
carinho*

Angela disse...

Vera!
que lindo isso que me deixou...

obrigada...

abraço forte, viu?

Aglaé disse...

Angela...
os antúrios,
as suas 'caixinhas',
seus traços e tintas e letras
...tudo tão verdade
tão funda e sólida
arte e vida!


amo*

beijos aqu tb

[não sei como 'recolher'!]

Tania disse...

que lindo, amiga. Há muito eu queria um, me dei de presente no meu aniversário. Só que ele é meio tímido.. dá sempre uma só flor por vez. Mas esta flor é tão linda, tão linda, que me faz mais apaixonada por ele.
Esta tela ficou linda. Leveza e perfeição.
bom imaginar tua mão pintando os antúrios de tua mãe.
me emocionei..
Um beijo... grande..

Angela disse...

Agla!

senti tua falta por aqui!

.

é, Agla,

é o jeito que encontro,

de guardar minha vida...obrigada...

Angela disse...

Tânia,

quando você me fala, que teu antúrio, lhe entrega apenas uma flor por vez, eu penso:
é que ele quer que teu olhar se volte para cada flor, e o admire, em sua individualidade...porque a cada flor que abrir, ele irá lhe entregar o agradecimento único, resultado de seu cuidado...
obrigada pelas tuas palavras,
obrigada pelo carinho!

Anônimo disse...

Olá Angela, seu trabalho é admirável, simples palavras que falam ao nosso coração.
Duas obras primas, a pintura e seu texto.
Deus te deu um lindo talento, não pare, seu trabalho é lindo.
Um grande abraço,
Sidney
( papodedesenhista.blogspot.com)

campo das letras disse...

Ângela...
.
Bom estar aqui, bom ler o q escreveste. É como caminhas sobre pegadas deixadas, num caminho inverso, não para o futuro, mas para o passado...
.
Beijo com carinho.
.
.
...

campo das letras disse...

É bom caminhar sobre pegadas deixadas, num caminhar inverso,num caminhar para trás, para as coisas que encheram nossos dias e nos enchem hoje de saudades
.
.
[re]lembrar, [re]viver.
.
nem sempre relembramos o que vivemos, mas o q pensamos ter vivido, o que nos proporciona uma terceira experiência.
.
.
e benditas sejam as experiências que nos fazem crescer, melhorar, aprender
.
beijão, menina das artes!

campo das letras disse...

eu achei q ja tinha comentado, mas como nao apareceu, comentei novamente.


.
se dobrei comentarios, escolhe um e posta..rs
.
pra eu nao parecer papagaia..rssss....nao q eu nao seja...*rss
.

campo das letras disse...

ou posta tudo mesmo ( até esse ) rss
.
qm manda eu ser esquecida? risos
.
beijos!!

Angela disse...

rs...

olá Marry!

perdoa...
eu é que estive distante daqui...
e porisso não haviam sido publicadas as mensagens...

dias em que a gente se aquieta como me disseste uns dias atrás, lembra?

Angela disse...

agora leio tuas letras, e me vejo assim mesmo, como vc diz:

caminhando pelo inverso...

sabe Deus o que acontece no presente
sabe Deus, o que me remete tanto ao passado...
mas seja lá como for, é vida, rolando como seixos...

muito obrigada pelo carinho!

beijão menina das letras!

Angela disse...

obrigada Sidney,

pelo incentivo deixado,
muitas vezes, eu sinto, mesmo assim...
a arte escoa pelas mãos de Deus...
de alguma forma, Ele me conduziu para esse trabalho...

Ele é a luz...
Eu, tento alcançá-lo...


abraços...