sábado, 15 de maio de 2010

pequena alma





mas não nasceu assim,
tão forte,
tão resistente...
fez-se devagar.
falta-lhe ainda,
a inconsciência dos loucos,
o atrevimento dos ousados,
o doce sorriso das crianças.



sobre a tela:

Título: pequena alma
óleo sobre tela texturizada, 1996
0,30 x 0,40
local onde se encontra: São José dos Campos - SP












10 comentários:

Angela disse...

Fá,

obrigada pela caixinha de som!
agora tudo ficou mais bonito!

meu carinho!

Angela

Aglaé disse...

pequena alma
tão grande
ternura...
Angela
.
.
.
e a valsa...ah!

beijos meus*

Angela disse...

a valsa!
a valsa d'amelie é leve,tanto quanto o filme, não é?
É tão bonita a forma como tudo acontece e como se transmite o sentido da vida!


beijos, uma boa semana e obrigada Agla!

... disse...

___hummmm....a alma que não se mede, né?
toda ela bordadinha de continhas, ou pintada de rabiscos que unidos formam esse grande segredo.
.
e como voam.
.

ah! o que seríamos sem música?
a valsa...linda!
.
carinho enorme.
beijo grande.
.

Aglaé disse...

vim ouvir a valsa de novo, Angela...

beijo, querida...
semana muito boa a vc....

Angela disse...

bem, de quem será a autoria dessa mensagem??


Bonitas palavras!

Meu muito obrigada, à quem teve essa sensibidade!

Angela disse...

Agla,
a casa é tua tbm!
venha sim, sempre!
é tão importante sabermos que sempre temos amigos cuidando da gente, por perto!

uma boa semana prá vc tbm!
bjos!

alexandre disse...

Vai ser lindo!!!
Bjokas:))

Angela disse...

Olá Alexandre!

Seja Bem Vindo ao meu pequenino mundo de tintas!


bjs!

Verinskia* disse...

Dizem que os pares, os afins, acabam se encontrando mesmo nesse mundo virtual!

que bela a tua página
saio bailando ternuras com os olhos cheios de beleza,
vista, sentida e introjetada.

vou me apropriar e te levar junto, posso?

boa noite!